Posts

Sua Prioridade -Sua Ação

definindo prioridades

Asier_relampagoestudio / Freepik

Olá pessoal, estou voltando com uma super reflexão e quero iniciar com um lembrete:

Onde está a sua Prioridade estará a sua Ação!

Isso porque as nossas atitudes revelam aquilo que, em cada momento, possui verdadeira importância para nós. Esse assunto envolve alguns temas bastante comentados ultimamente, e que se unem numa questão que todos nós levantamos em algum momento da vida > O que estou fazendo pelo meu futuro?

É muito comum passarmos o nosso dia a dia tão envolvidos com a rotina já instalada, que ADIAMOS muitas coisas e nos mantemos (muitas vezes sem perceber) imersos na PROCRASTINAÇÃO, na AUTOSSABOTAGEM, no COMODISMO, e ainda nos deparamos com a FRUSTRAÇÃO por ter passado tanto tempo e não termos alcançado o planejado – porque descuidamos de nossas reais PRIORIDADES. Isso revela o quanto é comum, mas não aceitável, que por alguns momentos na vida a gente se deixe desviar das coisas, pessoas ou situações mais importantes e nos ocupamos com hábitos cotidianos simples e, quando vemos, estamos invertendo os valores e as prioridades.

E é então nesse momento que precisamos parar. Sim, parar e olhar para a situação real em que estamos vivendo. É fundamental analisarmos se nossos planos e sonhos estão na mesma direção de nossas ações. E quando não estiverem, é hora de reavaliar o valor que damos ao que dizemos ser importante, se de fato nossos projetos de vida são esses mesmos ou se é válido replanejar.

Para que a gente consiga sair do lugar, muitas vezes será necessário parar, respirar, reconstruir forças e motivos para seguir adiante. E então poderemos medir o quanto de empenho estaremos dispostos a dedicar à missão que traçamos.

Desse modo, vale a pena responder aos questionamentos: Onde você anda investindo sua garra, sua paixão, seu tempo? É aí mesmo que está tudo o que deve ser valorizado?

Muitos tesouros são perdidos quando não recebem os melhores cuidados e investimentos. Dedique-se com força a tudo aquilo que você ama, porque o tempo passa depressa, as circunstâncias mudam, a oportunidade pode não voltar. Já dizem por aí que “quando não sabemos para onde ir, qualquer caminho serve”, que não estejamos optando por essa condição na nossa vida.

Quando entendermos plenamente a relação entre movimento e motivo, estaremos mais focados e determinados. Para você se mover na direção do seu sonho, você precisa ter certeza do motivo que te leva ao mesmo. Se não tivermos um bom motivo (que é repleto de valor), não teremos de onde tirar forças para o indispensável e desafiador movimento de tornar Real o Ideal.

Reavalie em sua vida se seus costumes e hábitos, seus motivos e sonhos, estão concordando com as suas prioridades e ações. Não permita que a correria do dia a dia te atrapalhe e desvie seus passos daquilo que realmente importa!

Cuide-se! Mova-se! Viva melhor dia após dia!

Bjs e até o próximo texto!

Escolhas

Já parou pra pensar na imensa importância das nossas escolhas? Desde as situações mais simples como o que fazer para o almoço ou onde e como passar o fim de semana até às escolhas mais delicadas que precisamos fazer na vida, é essencial sabermos o porquê estamos escolhendo. Precisa fazer sentido, precisa ser significativo, precisa valer a pena. Nossos comportamentos estão diretamente relacionados às nossas escolhas. E nossas escolhas relacionadas às nossas prioridades.

É claro que temos necessidades básicas, que nos levam diretamente a agir para atender questões urgentes (como fome, sede, ou tomar remédios quando estamos doentes), mas ainda assim podemos escolher não fazê-lo. Ou também há as muitas vezes que a gente se pega agindo por impulso, mas isso aí também é escolha, porque é hábito que a gente está escolhendo manter. Entende? Se estou desanimado e ando reclamando de tudo de difícil que acontece naquele dia, estou escolhendo manter meu desânimo em alta, manter o foco da minha atenção no pior e estragar a minha vida. Se decido não fazer nem um pouco mais de esforço para realizar algo que sempre digo ser importante, estou escolhendo fazer disso algo não tão importante assim.

E com isso, vamos seguindo a vida com milhões de opções no caminho que exigem a todo tempo uma decisão nossa, e após cada escolha virão consequências. Com elas virão ganhos, mas também virão perdas que precisamos aprender a superar. Abrir mão de certas coisas nem sempre será tão ruim assim, principalmente quando o que se ganha com essa escolha tem valor maior.

Portanto, vale muito o nosso constante questionamento sobre como anda nossa postura diante da vida. O que a gente vem decidindo que faça parte de nós e dos nossos dias? Será que o que a gente está priorizando realmente é prioridade, é essencial, é o mais valioso que temos?

O caminho vai ser sempre esse, quando escolho uma coisa abro mão de outra. E é crucial sabermos exatamente o que ganhamos, o que perdemos e o peso que isso terá a longo prazo. Saber suportar o desconforto é entender que as vantagens são maiores e melhores. Não podemos nos limitar a velhos hábitos, a nenhuma zona de conforto ou a tantas situações com as quais nos conformamos como se não pudesse ser diferente. Lembre-se, isso aí também estará sendo uma escolha. E na verdade, a pior delas, porque não te permite crescer e ser melhor.

“Escolho não melhorar, escolho manter minha vida de um jeito nada saudável e muito menos produtivo, porque quando vejo já está se repetindo tudo de novo. Não sei sair desse ciclo, não sei como mudar.”

Mas olha! Tem saída, tem escolha! Tem ação! A gente pode mudar, simplesmente mudando. Fácil? Não. Sem dor? Também não. Mas com muito mais ganhos do que sacrifícios. Se não questionarmos, vamos seguindo nossa rotina escolhendo muito mal e nos enganando (ao que chamamos de autosabotagem), imersos a hábitos que estarão ocupando demais nosso tempo e depois não dará mais pra voltar atrás.

Nós precisamos construir segurança em nossas decisões. As tantas opções podem nos deixar incertos do que seria melhor escolher, mas a verdade é que precisamos escolher em algum momento, e nem sempre teremos tanta certeza do que é melhor. Mas devemos começar por escolher não alimentar dúvidas e inseguranças. Se não dá pra colocar na balança e ver o que é mais importante, teste um caminho e escolha fazer dele o melhor, aproveite tudo que ele trouxer sem pensar naquele que não foi escolhido. Uma coisa é certa, qualquer caminho terá alegrias e lutas, então abrace sua escolha. Ter segurança nas decisões é isso. Aguentar as consequências e fazer o melhor prevalecer.

Você pode complementar essa reflexão conferindo no meu último texto aqui do blog, quando digo que somos responsáveis por nós mesmos e por nossas reações. A chave estará sempre em nossas mãos e a porta só abre se girarmos a chave, ou seja, se escolhermos abrir. E é mesma coisa em relação aos nossos projetos de vida, (que você pode reler no texto Sonhos precisam morrer) precisamos sair do lugar, agir em direção à realização, e só conseguimos isso quando decidimos fazê-lo. Percebe que todas essas reflexões nos trazem a uma mesma conclusão? AÇÃO.

Então, bora ser firme nas escolhas e agir em direção às prioridades mais valiosas pra você? E quando ficar tudo muito confuso ou difícil, existe muita gente que pode te ajudar. 😉

A importância de estar bem

Oi!

Você sabia que lembrar diariamente das nossas prioridades na vida nos ajuda a regular nossas emoções, mantendo-nos bem apesar de estarmos mal? “Mas pera aí, Mayara, como assim?” Pois bem, quando lembramos diariamente do que realmente importa pra gente, nossa vontade de viver é maior e mais decisiva, já reparou? E antes de tudo, o que mais importa para todos nós, é estar bem. É a nossa busca por felicidade, por completude. E nesse processo não podemos nos esquecer da aceitação de cada etapa da vida, das circunstâncias que nos trazem uma infinidade de sensações, vezes boas, mas outras vezes bem ruins. Faz parte desse “estar bem” entender que sentimentos desconfortáveis são naturais na vida e que temos total capacidade para senti-los e superá-los. E sabe por quê? Porque sentimentos são momentâneos, eles têm seu tempo pra durar. Nós é que, em meio ao desconforto, nos desesperamos e estendemos o tempo dessas sensações.

Está tudo bem em ficar mal, em ficar triste, em chorar, em ter raiva. Aceitar esses momentos e o peso desse sentir é parte do ficar bem, porque quando não aceitamos damos murro em ponta de faca, fugimos muitas vezes dessas emoções, negamos nossa habilidade em passar por elas. Resultado? Mais peso e mais sofrimento. Aceitar é diferente de se conformar. Aceite, mas busque soluções. Compreenda-se e lute para superar seus desafios. Vamos lembrar dia a dia da importância de buscarmos nosso bem estar, de nos sentirmos bem mesmo quando não estivermos bem, por sabermos que tá passando. Isso não vai durar a vida toda. Temos a intensa mania de eternizar as coisas ruins e lamentar pelas boas que não voltam mais. Vamos combinar uma coisa? Vamos decidir por viver no agora, pois é o único momento que temos nas mãos.

É importante priorizar o que tem valor pra gente, caso contrário perdemos tesouros no caminho. Se você não prioriza determinadas coisas, questione-se se elas ainda são importantes pra você. E se você anda perdendo seus tesouros, questione-se o quanto você os prioriza. O estresse nos domina quando nossa paz interior deixa de ser valiosa. As mágoas duram mais tempo quando nos deixamos abalar por qualquer coisa, e se tornam mais importantes do que nosso amor próprio. Então vamos colocar cada valor no lugar certo, e viver melhor. Não dê importância demais ao que merece importância de menos, e vice e versa. Vamos viver mais leve.

Até a próxima reflexão.

E deixe aí nos comentários suas experiências, suas observações e também dúvidas. Participe aqui conosco!

Bjooo Mayara.