Dicas para homenagens musicais

Hello pessoa,

Esta semana um vídeo que andou circulando no Facebook me chamou à atenção. Trata-se de uma noiva que entra cantando uma linda canção de amor no dia de seu casamento. De início não curti pelo simples fato de ela usar um playback, porém, respeitando a escolha, me ative em ouvir sua voz, e me deixar surpreender pelo momento.  E que surpresa! Muito provavelmente pelo nervosismo, ela desafinou em diversos pontos e, como se não bastasse, em nenhum momento respeitou o andamento da canção. A causa era nobre, a iniciativa era boa, a tentativa de fazer uma homenagem ao noivo foi linda, mas, ao mesmo tempo, frustrante. Poderia ter deixado ao cargo dos músicos.  Pensando nisso, resolvi dar algumas dicas para quem quiser se arriscar e cantar (ou tocar) para alguém em uma ocasião especial:

  • Se você nunca cantou (ou não domina algum instrumento), procure um profissional para te ajudar no processo de preparação da homenagem;

Além das habilidades técnicas, o professor saberá trabalhar todo aspecto emocional e te deixar mais confiante para o dia da apresentação;

  • Escolha uma música que te dê segurança;

O principal objetivo da homenagem é tornar o momento especial para a pessoa que você ama, não precisa se exibir; escolha uma música especial, mas que ao mesmo tempo seja adequada para que você cante/toque com coração e maior tranquilidade;

  • Evite playback se você não está habituado a cantar;

Os playbacks limitam a liberdade interpretativa e se você fugir um pouquinho que seja do andamento, tal atitude pode comprometer toda sua execução e te deixar ainda mais inseguro. O ideal é optar por algum instrumentista que te acompanhe. Faça algo simples, opte por uma instrumentação que favoreça a sua interpretação e lhe deixe confortável, familiarizado com a canção;

  • Mantenha a calma;

Respire fundo, sinta a música e tudo que ela diz a você, reconhecendo a importância que a mesma tem para a pessoa que você estará homenageando.  Deixe a emoção fluir, mas não se deixe dominar, esteja no controle e faça tudo com entusiasmo e com o coração.

  • Crie sua canção

Se você é daqueles que gostam de compor, dê mais autenticidade ao momento e  escreva uma canção que traduza tudo aquilo que você gostaria de dizer, mas que precisa ser dito além das palavras. A música fará tudo por você!

Curtiu? Aposte no seu talento para criar boas memórias!

Você já homenageou alguém? Conta pra mim como foi, vou adorar saber!

Beijos de luz!

Música no combate ao Câncer: inspirações

humanizandoloscuidadosintensivos.com

Hello pessoa, tudo bem?

Dando continuidade à nossa série de posts sobre o Outubro Rosa, o tema desta semana traz músicas ligadas à luta contra o câncer e que compõem a trilha sonora de muita gente, como fonte de inspiração para superar cada etapa do tratamento.

Quem não se lembra da icônica cena de Camila – personagem de Carolina Dieckmann na novela Laços de Família (2000) – raspando a cabeça ao som de Love by Grace? Eu mesma, não conhecia a música e muito menos a cantora (Lara Fabian), mas toda vez que a música tocava no rádio eu virava para minha mãe e falava:  – a música da Camila, mãe!!” E automaticamente, já chorava, pois lembrava de toda a cena, de todo o processo.  A cena, até hoje lembrada como uma das mais emocionantes da ficção, trazia a público o momento em que uma mulher, jovem, cheia de vida, tinha que desapegar de seus cabelos já enfraquecidos em virtude da quimioterapia e dos demais procedimentos envolvidos no tratamento de sua leucemia. Por si só, já era emocionante, mas a música tornou tudo maior, mais impactante. E não é só na ficção que uma música se torna símbolo de luta e de motivação para o tratamento; abaixo, algumas canções inspiradas pelo combate ao câncer:

Em outubro de 2004, Melissa foi diagnosticada com câncer de mama. No Grammy Awards de 2005, ela fez um retorno aos palcos e, apesar de careca por causa da quimioterapia, realizou uma homenagem a Janis Joplin cantando a canção “Piece of My Heart” num dueto com Joss Stone. Etheridge foi elogiada por seu desempenho e inspirou a faixa “I Am Not My Hair.”, da cantora de R&B, India.Aire.  Em novembro de 2005 foi a vez de Melissa lançar a canção “I run for life“, de sua autoria, que, além de retratar sua própria história de vida, busca dar apoio às portadoras do câncer da mama e suas famílias. Depois de sua performance no Jay Leno lhe disse: “Obrigado por ser uma lutadora, garota”.

Lançada em setembro de 2012 durante o evento Stand up to cancer, nos Estados Unidos, em homenagem a Ronan Thompson, um menino de 3 anos de idade que foi diagnosticado com  neuroblastoma – uma espécie de câncer que ocorre principalmente em crianças. Depois de sua morte, Maya Thompson, mãe do menino, criou um blog em homenagem ao filho.  A mãe do garoto disse: “Swift estava lendo o meu blog há algum tempo e soube que Ronan havia falecido”; “E ela estava devastada por ele”. Swift já havia conhecido Maya antes da morte do garoto, quando ela fez um show em Phoenix, Arizona.  Em um certo dia, quando lia o blog, a cantora fez uma chamada de voz para Maya dizendo que havia escrito uma canção para Ronan e pedindo permissão para cantá-la no evento Stand Up to Cancer. Maya não só permitiu, como também foi considerada co-autora da canção. Em 13 de setembro de 2012, quando Taylor Swift veio ao Brasil para uma apresentação promocional de seu quarto álbum de estúdio no Rio de Janeiro, ela foi perguntada sobre “Ronan” e respondeu: “É uma música tão triste e difícil de cantar, provavelmente nunca mais vou cantá-la ao vivo. Só o fiz para o evento do câncer”. Os versos são cantados sob a perspectiva da mãe do garoto, como: “Eu me lembro de seus pés descalços na entrada / Lembro da sua risada / Carros de corrida no chão da cozinha / Dinossauros de plástico”

‘Intimacy’, terceiro álbum dos britânicos da Bloc Party, trouxe uma composição confessional dedicada a uma vítima de câncer. Lançado em 2008, o disco apresentou ao público os versos fortes e melancólicos de “Biko”. O título da faixa é uma palavra de origem nigeriana usada pelo vocalista Kele Okereke. Extraído do dialeto Igbo, o termo biko equivale a “por favor” e se repete no refrão em “biko, toughen up” (“Por favor, seja forte”, em tradução livre).  Em um momento da canção, o compositor e intérprete declara ao ente querido que  “se eu pudesse devorar seu câncer eu o faria, mas não posso/ Então continuo escrevendo estas canções para você”.

A canção é inspirada na luta de Charlie Mingroni, amigo do compositor que venceu um câncer nos ossos antes de chegar aos 30 anos. A canção trata das mudanças que o exemplo de Charlie provocou em Jason. Em uma entrevista à época do lançamento, o artista explica como observou o espírito combativo de quem supera a doença. “O tratamento contra câncer é uma experiência muito positiva. Todo mundo que conheci [em tratamento] mantém uma atitude muito positiva porque é realmente o poder do pensamento positivo que cura, e é sobre isso que a música trata”, explica Mraz. Lançado no álbum ‘Waiting for my rocket to come’, em outubro de 2002, o hit foi precedido pela cura total de Charlie Mingroni, que se livrou do câncer em março do mesmo ano.

Hoje eu quis apresentar algumas músicas, porque é a categoria que me cabe. Mas se tratando de luta, superação, tudo é válido, principalmente oração e pensamento positivo. Vale lembrar que qualquer ferramenta que nos traga força, estímulo e perseverança, deve sim ser usada. Leia um livro, assista a um filme, ouça canções, passeie no parque, enfim, encha-se de amor, de esperança e acredite: VOCÊ PODE VENCER TUDO!

Você tem alguma música de superação, que te transmita fé e esperança? Conta pra mim!! Comente e compartilhe! Vamos espalhar amor ♥

Beijos de luz!

A música no combate ao câncer de mama

Abril Saúde

Hello pessoa, tudo bem?

Neste mês -além das nossas dicas semanais aqui no blog – dedicamos alguns de nossos posts à campanha Outubro Rosa, que incentiva e estimula a população no combate e prevenção do câncer de mama. E quando se trata de luta, combate e estímulo, a música vem para dar aquela despertada nos sentimentos e nos fazer acreditar que podemos vencer qualquer coisa, com fé e perseverança. Pensando nisso, resolvi trazer alguns fatos que comprovam a importância da música no tratamento do Câncer.

Uma pesquisa do Programa de Oncobiologia da UFRJ expôs uma cultura de células MCF-7, ligadas ao câncer de mama, à meia hora do primeiro movimento da Quinta Sinfonia de Beethoven (Ouça aqui). Uma em cada cinco delas morreu, numa experiência que visa o desenvolvimento de terapias musicais para combater a doença, por meio de timbres e frequências.

Num primeiro instante, o objetivo é encontrar formas mais eficientes e menos tóxicas de combater o câncer, uma vez que os processos de quimioterapia e radioterapia geram um grande desgaste ao paciente. Futuramente, com a utilização e desenvolvimento de métodos e técnicas de musicoterapia, o uso de frequências sonoras pode ser um grande aliado dos pacientes e tão eficaz quanto aos tratamentos “convencionais”.

Segundo Márcia Capella, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho –  e coordenadora do estudo -, a estratégia de usar a musicoterapia “costuma ser adotada em doenças ligadas a problemas psicológicos, situações que envolvam um componente emocional”. “Mostramos que, além disso, a música produz um efeito direto sobre as células do nosso organismo”.

Para saber mais, leia a matéria completa aqui.

O que mais me instiga nesta pesquisa é a busca constante de experiências com uma diversidade de gêneros musicais, visando conhecer os efeitos que cada um possa provocar nas células cancerígenas. Talvez estes resultados possam trazer a opção de um tratamento realizado a partir da apreciação e escuta das canções favoritas de cada paciente.

Já pensou que lindo seria? Já estou ansiosíssima e acompanhando cada passo.

Na próxima semana, trarei uma lista com algumas canções e sua relação com o tratamento do câncer. Aproveita e deixa o seu comentário. Vou adorar saber o que você achou desta pesquisa.

Beijos de luz!

Especial 15 anos – Coreografia com os amigos

15anos.inesquecivelcasamento.com.br

Hello pessoa, tudo bem?

Os últimos posts foram dedicados à Valsa, aquele momento da dança a dois com o príncipe ou o pai da debutante. E hoje chegou a vez de falar sobre mais um dos momentos mais esperados: a coreografia da galera! E titia aqui preparou algumas dicas para arrasar na hora de sacudir o esqueleto, afinal, já que é pra dançar, melhor que seja com todo mundo junto, né?  Vamos lá!

1) Escolha uma música que seja realmente marcante para você e seus amigos

Nem tudo que é modinha cai bem né? Às vezes uma música atual, que esteja na mídia seja mais funcional na pista de dança, para dançar com todos os convidados. Mas, na hora da coreografia, a escolha deve sempre retratar o estilo da debutante e a vibe da galera. A opção é algo divertido, para ficar marcado na memória de todos!

2) Dança temática

Se sua festa de 15 anos tem algum tema, aposte em uma música que interaja com o mesmo.  Numa festa sobre Hollywood, trazer os clássicos que marcaram a história do cinema, não é nada mal, hein?

3) Pout-pourri / Medley

Que tal unir uma série de músicas que marcaram sua história e de seus amigos e apostar naquele passo SINISTRO de dança?  Criar um início, meio e fim e jogar a energia lá em cima? Não tem pezinho que não se mexa, querida! SE JOGA!

4) Curtição nos ensaios

O processo de preparação da coreografia é divertidíssimo do início ao fim, por mais cansativo que possa parecer, nos ensaios os momentos cômicos são constantes e sempre rola aquele tempinho para publicar as etapas nas redes sociais e interagir com a galera.

5) Seja irreverente

Nada de fazer o que todo mundo faz! Faça o que tenha a ver com você e aposte em sua autenticidade para criar memórias lindas! Divirta-se e curta cada momento de sua festa!

E aí, curtiu as dicas? Comente e conte para mim o que você achou! Tem alguma dúvida? Alguma pergunta? Fala aí, que eu vou ter muita alegria em te responder!

Beijos de luz!

Continuação – Especial 15 anos – Breve história da Valsa

Divulgação

Hello pessoa, tudo bem?

Na última semana, trouxe algumas dicas de músicas para a hora da Valsa, que hoje em dia, não tem lá um padrão musical e tem sido substituída por músicas de diferentes gêneros. A hora da valsa, tornou-se a hora da dança de casais. Há quem prefira seguir a tradição e apostar, de fato, em obras que sigam à estética proposta pelo estilo. Pensando nisso, no post desta semana vamos conhecer um pouquinho mais sobre a valsa e suas origens. Vamos lá?

Considerada como a dança mais popular do século XIX, a Valsa (do alemão Walzer, que significa “girar”) é um estilo de dança e música caracterizado pelo compasso ternário ou binário composto e tem suas origens ligadas às danças executadas nos bailes populares, por volta do século XVIII na região da Áustria e Alemanha. Inicialmente, sua introdução nos bailes da aristocracia e da corte foi um pouco turbulenta, devido à proximidade física entre os pares e ao ritmo, consderado como algo diabólico por alguns membros da nobreza da época.

Porém, sua reprodução, sobretudo, nos salões austríacos, fez com que o estilo começasse a tomar conta nos bailes europeus. Tal fato, se deve, principalmente, à obra de alguns compositores, como, c por exemplo, os membros da família Strauss, Josef e Johann Strauss. O último, conhecido como Rei da Valsa foi em grande parte responsável pela popularidade da valsa em Viena durante o século XIX. Dentre suas principais obras, podemos destacar: “Folhas da Manhã” (1863), “Bombons Vienenses” (1866), “Danúbio Azul” (1867) e “Vinho, Mulher e Canção” (1869). Outros grandes compositores, como Weber, Chopin, Ravel e Brahms têm valsas em seus repertórios.

Em 1808, com a chegada da corte portuguesa, a valsa começou a se tornar conhecida, principalmente pelas execuções nos salões da elite carioca e, ao longo da segunda metade do século XIX, obteve ainda maior aceitação entre a sociedade da época, sobretudo pelas obras de alguns compositores brasileiros, como Villa Lobos, Carlos Gomes, Ernesto Nazaré, Chiquinha Gonzaga, entre outros.

E aí, gostou de conhecer um pouquinho sobre a tão famosa valsa? Espero que sim, afinal, a história é importantíssima para sabermos valorizar as tradições e conhecer os artistas que nos deixaram um lindo legado e, até hoje, nos influenciam com o seu trabalho.

Comente, curta e compartilhe! É super importante saber o que você quer ver por aqui!

Até a próxima!

Beijos de luz!

Fonte: Guia da musica clássica

Ebiografia

Apostilas de História da Música – Arquivo pessoal

Especial 15 anos

Hello pessoa, tudo bem?

Esta semana vamos falar sobre um dos momentos mais sonhados por qualquer menina: a festa de 15 anos! Um momento lindo, onde amigos e familiares se unem para celebrar a vida e a nova fase da debutante, sempre com muita alegria e, claro, com muita música!

Atualmente é muito comum a escolha de músicas para o momento da coreografia com os amigos, mas para quem gosta de manter a tradição, a valsa com o pai ainda é um dos momentos mais aguardados da festa. Sendo de fato uma valsa ou optando por um estilo mais popular, o que não falta são opções de músicas para embalar esse momento e tornar o dia de princesa ainda mais especial! Confira algumas dicas:

1) Ariana Grande, John Legend – Beauty and the Beast From “Beauty and the Beast”

2) Johan Strauss Jr. – Danúbio Azul

3) Tchaikovsky – Waltz of the Flowers (Valsa das Flores)

4) Cinderella (2015) – “La Valse de l’Amour

5) City of stars – (Duet ft. Ryan Gosling, Emma Stone) – La La Land Original Motion Picture
Soundtrack

6) Ed Sheeran – Give me love

7) Taylor Swift – Fifteen

8) The only exception – Paramore

9) Lifehouse –You and I

10) A thousand years – Christina Perry

Nostalgia: 10 hits para todo mundo dançar

Hello pessoa,

Sabe aquela hora da festa que todos os convidados levantam para dançar as músicas que –  eles morrem de vergonha de admitir que conhecem – marcaram sua geração? Eu separei para você uma lista com 10 hits que não podem faltar na pista de dança!  Vem sacudir o esqueleto comigo!

 

  1. Superfantático – Balão mágico
  2. Ragatanga – Rouge
  3. Bomba – Braga Boys
  4. Tesouro do pirata (Olha a onda)  – Tchakabum
  5. Glamurosa – Mc Marcinho
  6. Cerol na mão – Bonde do Tigrão
  7. Papo de Jacaré – P.O. Box
  8. Se ela dança, eu danço – Mc Leozinho
  9. La bamba – Ritchie Valens
  10. Vira Vira – Mamonas Assassinas

E aí, tem alguma música que te faz lembrar o passado e se jogar na dança? Conta pra mim! Curta, comente e compartilhe!

Beijos de luz!

 

E agora: Banda ou DJ?

Hello pessoa, tudo bem?

Semana passada vimos algumas dicas de como escolher o músico ideal para tocar no seu evento. Enquanto escrevia o post, não me preocupei a direcionar uma atração específica, o que me levou a outro tema: contratar uma banda ou um DJ para a festa? Vamos lá!

Seja qual for o evento, sempre esbarramos num ponto comum em todas as categorias: o orçamento! Assim como em cada detalhe da festa- e seguindo a dica financeira da Cintia Alves -, antes de tudo, deve-se pensar no valor que foi destinado para a música e tentar, dentro deste valor, achar a opção viável. Portanto, vale a pena levantar alguns pontos para te ajudar ainda mais na escolha.

Banda – Música ao vivo

Tem coisa mais empolgante do que você ver de pertinho a galera mandando ver? Um verdadeiro show, com aquele alto astral para animar seus convidados e fazer você curtir cada minutinho!

Repertório

Cover ou autoral, a banda trará um jeito único de tocar as canções de seu repertório! Todo show é diferente, é outra energia, outra performance, ainda que o repertório se repita, uma banda sempre vai se reinventar a cada apresentação, o que trará ao seu evento, momentos exclusivos! A banda trará um repertório amplo para atingir a todos ou pode seguir algo específico, se houver um tema proposto para a festa. Dependendo de como for a flexibilidade dos músicos, pode até rolar aquele momento karaokê com os convidados. Não tem quem resista se rolar aquela deixa pra cantar Evidências, né? Hahaha

Estrutura

Uma banda demanda um espaço maior para que os músicos consigam se apresentar! O local da festa deve oferecer espaço suficiente para comportar os convidados e permitir que os músicos consigam se apresentar com segurança e liberdade para poderem executar seu trabalho da melhor forma possível! Com relação ao som e a luz, normalmente uma banda já tem equipamentos de som que atendem às necessidades do show.  Luz, nem sempre. Vale verificar qual estrutura será necessária, lembrando que, tudo que não consta no orçamento estabelecido pelos músicos, é de responsabilidade do contratante.

Dj – Repertório diversificado

O Dj normalmente tem várias opções de repertório e vai mesclar conforme o “clima” dos seus convidados, adotando também as suas sugestões e abrindo até espaço para músicas que não estavam programadas. O acervo é sempre muito grande e ele vai saber como ponderar a hora certa de tocar cada canção.

Estrutura

Geralmente o DJ tem todos os equipamentos; Som, luz, estrobo, máquina de fumaça, enfim, o conjunto completo para montar aquele cenário de balada e poder fazer o seu convidado se jogar na pista! Por ser uma pessoa só, o espaço para instalar os equipamentos costuma ser menor comparado à banda.

Ainda na dúvida? Por que não contratar os dois? Já pensou que tuuuuuudo ter dois ambientes na sua festa? Alternar entre um estilo e outro e, assim, poder dar ainda mais opções para os convidados? Tudo é possível com planejamento e aquela ajudinha básica dos amigos, né? Hahaha

Seja qual for sua escolha, nem pense em esquecer da música, viu? Afinal, você e seus convidados merecem se divertir e, claro, a música é a melhor maneira de aproveitar a festa para criar momentos de interação com as pessoas que você ama! Dê uma trilha sonora e crie memórias para sua festa!

Ficamos por aqui! Não esqueça de comentar e deixar sua sugestão!

Beijos de luz.

Com que músico eu vou?

Arquivo pessoal

Hello pessoa,

Na última semana eu dei algumas dicas sobre como criar uma playlist e dividi a nossa playlist para inspirar as leitoras noivinhas aqui do site! Aproveita e corre pro Spotify para ouvir as músicas que separamos, e deixa o som rolar enquanto estiver lendo os textos do nosso blog! <3

Hoje falaremos deles: os nossos queridíssimos MÚSICOS! Os responsáveis pelo sucesso (ou não) da nossa festa!

Sem querer desmerecer os outros profissionais envolvidos na organização, a gente bem sabe que é muito difícil se divertir num evento com música inadequada, né? Quando falo nisso, quero dizer que para cada festa há músicas que se enquadram no tema proposto e, ao menos que haja um pedido especial por parte do dono, as que não se relacionam com a proposta do evento, não são bem-vindas!  Se você é daqueles que não faz a menor ideia do que eu estou falando e tá mais perdido que dente na boca de banguela, NÃO SE DESESPERE! Falaremos muuuuito sobre repertório por aqui!! (: Agora, se você já sabe mais ou menos o repertório que quer para sua festa, PARABÉEEEEEENS; é hora de pensar na execução destas músicas, ou seja, pensar nos músicos que vão tocar na sua festa!!! Vamos conhecer alguns passos importantes para a contratação!

ANTECEDÊNCIA

Programe-se! Comece a planejar o seu evento com a maior antecedência possível, para garantir um tempo de pensar em todas as suas escolhas. É importante saber que os músicos trabalham muito (não é só tocar no dia do evento não, galera), principalmente nos finais de semana. São estudos, vários ensaios e apresentações – às vezes até 2 ou 3 no mesmo dia- e, geralmente, o tempo é muito corrido. Contratar um músico às vésperas do seu evento é MUITO ARRSICADO; primeiro porque ele pode não ter disponibilidade para o dia solicitado e, se tiver, vai ter que correr para aprontar todos os detalhes da apresentação, o que pode comprometer seu desempenho no dia do show! Depois, porque, se o músico não tiver data, você pode ficar sem ninguém pra tocar na festa!

PESQUISA

É extremamente necessário conhecer o trabalho dos músicos que você deseja entrar em contato, antes mesmo de procurá-los para falar sobre o evento. Faça uma lista daqueles que se enquadram na categoria do seu evento, assim fica mais fácil filtrar e chegar perto do repertório que você quer. Ainda que a maioria dos músicos toque de tudo (seja versátil quanto ao repertório), é sempre bom poder escolher aquele que tenha mais afinidade com o tema da festa. Por exemplo, se você vai dar uma festa com temática ROCK anos 60,70 e 80, pense em bandas de rock que trabalhem com canções deste período! Feita a lista dos músicos mais indicados dentro do repertório que você quer, é hora de buscar opiniões sobre o trabalho deles:  faça uma busca pela internet, pelas redes sociais, assista a vídeos, compareça nos eventos que eles estiverem apresentando, pergunte a pessoas que já os tenha contratado, enfim, conheça tudo que você puder!

PRIMEIRO CONTATO: BATE-PAPO E ORÇAMENTO

Presencial ou não, é importante entrar em contato com os músicos para apresentar sua ideia, consultar a disponibilidade para a data e saber quanto eles irão cobrar pelo serviço. Reserve tempo para conversar e chegar a um meio termo quanto ao orçamento, uma quantia que seja ideal para eles e que você consiga pagar.  Não seja inconveniente: para cada apresentação, o músico investe muito em tempo estudando e ensaiando o repertório, além de arcar com os custos de ensaio e de manutenção de seus equipamentos (que não são nada baratos, por sinal). Pechinchar não é problema e você tem todo o direito de pedir aquele descontinho, mas tenha consciência de que ninguém é obrigado a tocar de graça! Se não puder pagar por músicos que você queira muito, peça ajuda, faça aquela vaquinha e levante a grana. Afinal, a música vai influenciar diretamente no clima da sua festa! Não tenha medo de investir! A Cíntia Alves, especialista na área financeira, tem umas dicas excelentes sobre como planejar os custos pro seu evento; Acesse aqui e confira!

CONTRATO

Depois de estudar o custo-benefício de cada músico, é a vez de escolher o que, de fato, irá comandar a sua festa. Você pode optar pela confiança no profissionalismo do mesmo ou, para garantir que não vai dar nada errado no dia, solicitar um contrato de prestação de serviços. A Amanda Leite, nossa especialista em Direito, fez um texto incrível falando sobre quando fazer um contrato de prestação de serviços! Clique aqui para tirar suas dúvidas! No contrato você poderá acordar e deixar registrado cada detalhe do show: preço, estrutura, data, enfim, tudo para garantir que o músico estará presente no dia e local estabelecido, fazendo tudo o que foi pensado junto com você!

DIA DA FESTA

Chegou o grande dia de aproveitar para se jogar na pista, para curtir com seus convidados e, se você é daquelas que gosta de dar uma canjinha, dar o SEU SHOW! Reserve um momento da festa para interagir com os músicos e descolar aquela participação especial! O mais importante é se divertir muito e aproveitar cada segundo da sua festa, afinal, a música vai te ajudar a tornar o dia ainda mais inesquecível e especial!

Curtiu as dicas da semana? Eu quero saber se você tem mais alguma dúvida que eu possa ter deixado passar aqui! Comente, vou adorar saber sua sugestão!

Beijos de Luz

Criando a sua Playlist

Freepik

No último post falamos sobre a importância de pensar com antecedência na trilha sonora do seu evento e no quanto o processo de apreciação/seleção musical pode ser decisivo para acertar na escolha do repertório! Pensando nisso, resolvi escrever algumas dicas para você montar sua playlist personalizada; seja para desafogar a tensão do evento ou mesmo anotar seus pedidos para incluir no repertório da banda ou DJ que você for contratar! Vamos lá?

  • Escolha a plataforma 

Seja uma playlist pública ou privada, opte por escolher uma plataforma/aplicativo que seja fácil de usar.  Eu sugiro o Spotify, pois o site conta com uma variedade de playlists – segmentadas por gênero, artista, ocasiões especiais, enfim, uma gama de assuntos que podem te dar uma base e tanta na hora de montar a sua própria playlist. Além disso, você consegue contar com a colaboração dos amigos que também utilizam a plataforma. Desta forma, você também pode enriquecer sua playlist com a sugestão dos seus convidados. Eu mesma criei uma playlist para inspirar as noivinhas aqui do blog! Acesse e deixe sua sugestão nos comentários, assim eu poderei incluir sua música também!!

  • Concentre-se no tema

Claro que a sua playlist deve contar com suas músicas favoritas, mas nada de pirar o cabeção e escolher músicas que não conversem com o tema do seu evento. Por exemplo, numa cerimônia de casamento, as músicas devem ter relação com os ritos – conforme falamos no último post – mas, para a festa do casamento, o repertório a ser executado deve considerar, além do gosto particular dos noivos, músicas que agradem aos convidados também. Portanto, optar por uma playlist eclética é a melhor solução.  Assim, todos saem ganhando e a diversão é garantida! Particularmente, por mais variado que seja o gosto musical dos convidados, tem sempre aquela música que vai arrastar todo mundo para dançar – eu mesma não me contenho; se começar a tocar Macarena,  paro tudo e vou correndo para a pista de dança hahahaha!

  • Faça um esboço segmentado da sua lista

O ideal é fazer uma listinha no papel, bem segmentada e, só depois, poder selecionar de fato as mais relevantes para migrar para o aplicativo de sua escolha.

Esta parte é a mais divertida; uma vez escolhido o tema é  hora de começar a montar sua listinha. Você pode dividir por gênero ou até mesmo por momentos da festa.  Por exemplo, se é uma festa de aniversário temática, você pode começar com músicas que remetam ao universo proposto por você, assim, os convidados irão entrar no clima e embarcar na sua história e, só depois, incluir músicas que mantenham o alto astral ao longo do seu evento. Uma vez, fui a uma festa cujo tema era carnaval. Quando cheguei, estavam tocando marchinhas e algumas pessoas estavam distribuindo confetes e serpentinas na entrada do salão. Ou seja, eu- assim como os demais convidados – , desde a recepção, mergulhei  no tema da festa e me diverti cantando marchinhas com os meus amigos; parecia um bloco carnavalesco de verdade!

Seja criativo, escolha as músicas que tenham relação com a proposta do evento e lembre-se de ouvir cada uma delas imaginando o momento que poderão ser tocadas. Embarque no sentimento e aproveite para liberar as suas emoções, além de desafogar a tensão e a ansiedade que geralmente tomam conta quando estamos planejando alguma festa.

Por falar nisso, a Mayara, nossa Psicóloga, fez um texto incrível, com dicas para nos ajudar a equilibrar os nossos sentimentos nesta etapa de preparação. Depois que terminar de ler aqui, não deixe de conferir!

  • Migre para a sua plataforma

Depois de pronta, considere de fato as músicas mais relevantes e cria a sua playlist utilizando a plataforma de sua preferência.

  1. Ordene as músicas com o intuito de prender a atenção do ouvinte, mesmo que o ouvinte seja só você neste primeiro momento;
  2. Busque por canções que conversem entre si: aproxime as que possuem ritmos similares e ordene segundo seu grau de importância imaginando o momento da execução. Por exemplo, não é legal colocar um forró seguido de uma valsa, porque, na pista de dança, estas músicas podem representar cenários diferentes.  Se o objetivo num dado momento é possibilitar músicas animadas que possam ser dançadas por casais, seria legal que o forró pudesse ser seguido de sertanejo, country, rock 70, 80 ou 90 e, à valsa, caberia a abertura da pista de dança, o momento em que o dono da festa se apresenta e convida aos demais para dançarem junto com ele!
  3. Termine com músicas vibrantes, que façam a sua festa ser lembrada com muita animação do início ao fim e que represente um dia de muita diversão para os seus convidados!
  • Apresente sua sugestão para os músicos contratados.

Uma vez criada, divida suas ideias com as pessoas que irão executar a trilha sonora do seu evento. Conte com as sugestões e possibilite a liberdade artística aos músicos, seja para elaborar um arranjo ou apenas para reproduzir a canção num momento diferente do que você tenha pensado; tudo vai depender do clima do evento! Os músicos sabem como ninguém quando o público está ou não curtindo o repertório e, assim, poderão optar por músicas que transformem o ambiente e promovam a interação dos convidados com sua festa. Lembre-se, sugerir sua trilha sonora não significa que só as músicas que você quer serão tocadas, mas que o músico, poderá, com base na sua playlist, dedicar algum momento da festa para homenagear você utilizando suas escolhas!

  • Dê o play

freepik

Antes, durante e, principalmente depois do seu evento ESCUTE MÚSICA e permita-se aproveitar todas as sensações que essa senhora arte nos traz!

Você tem uma playlist? Divide comigo!!! Vou adorar saber o que você anda ouvindo! Deixe seu comentário, quero saber o que você achou e contar com sua sugestão para futuros temas!

Beijos de luz.