Vamos falar de Autoestima?

Fazendo um gancho com o texto da semana passada sobre o Outubro Rosa, quero trazer pra você um breve questionamento sobre Autoestima e, assim, entendermos melhor o que de fato é essa tal companheira de nossos dias que por vezes está muito boa, mas em outros momentos está tão baixa que nos desmotiva diante de qualquer coisa.

Então, vamos lá. Como é a sua relação consigo mesma? É a partir dessa resposta que você saberá o que prevalece em sua autoestima. É o seu Amor Próprio que direcionará o foco dos seus sentimentos a respeito de si mesma e da vida que te cerca. “Mas Mayara, muitas vezes não mandamos nos sentimentos, simplesmente sentimos. Se acordo desanimada ou algo me acontece de ruim, fico logo pra baixo.” Sim, muitas vezes os sentimentos surgem sem pedir licença, e quando nos damos conta, eles já estão é tomando conta de nós. Mas depende fortemente de você o quanto esse sentimento continua a fazer estragos. Há um grande “segredo” a respeito do que comanda nossos sentimentos, mantendo-os por mais tempo. Isso tem relação com nossa percepção de mundo e que você só consegue descobrir com Psicoterapia, pois é complexo, pessoal e leva um tempinho. 😉

Veja bem, não temos que fugir dos sentimentos ruins, eles são tão importantes de se sentir quanto os bons, fazem parte da nossa vida, da nossa trajetória e precisam ser expressados, ou seja, sentidos por nós naturalmente. Porém, não podem ser estendidos, porque assim já deixa de ser algo natural e passa a ser patológico. Quem se mantém na dor está esticando a corda do sofrimento. E aí te digo uma frase que já ouvi algumas vezes e que mudou a minha vida: “A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional.” Sendo assim, percebemos o quanto está no nosso controle se vamos ou não continuar “pra baixo” num dia não muito agradável.

E ainda nesse raciocínio também percebemos o quanto nossa autoestima está ligada ao modo como nos relacionamos com a pessoa mais importante da nossa vida: nós mesmos. Autoestima vem de Estima por si mesmo. Se você não se ama, não se respeita, não se valoriza, não se curte ou se aprecia, que zelo você terá com seus sentimentos, com o que você diz pra si mesmo e com a maneira de se cuidar e se comportar? Portanto, que nossa Estima esteja sempre direcionada primeiramente a nós mesmos, para que estando bem consigo mesmo, se possa ser um ser humano melhor para os outros e para o mundo.

Ame-se! Curta-se! Festeje-se!

Sou Psicóloga clínica formada em Terapia Cognitivo Comportamental e Psicologia Positiva e pós graduanda em Psicologia Hospitalar e da Saúde na PUC-RIO.

Cuidar da dor do outro, compreender suas aflições e ajudá-lo a ampliar seu olhar diante da vida testando todas as possibilidades de ser mais feliz é o foco do meu trabalho. Por isso, gosto de incentivar as pessoas a encontrar o melhor de si mesmas no dia a dia e ousarem ir além de suas limitações, para que assim elas possam descobrir o valor e a força que possuem.

Trabalho com Psicoterapia de crianças e adultos; e tenho um projeto chamado Moveres Superando Desafios que vem se desenvolvendo com o objetivo de garantir informações e orientações sobre Saúde e Psicologia, além de promover incentivo para viver melhor a cada dia com reflexões e dicas para o seu bem estar!

Enfim, espero contribuir da melhor forma para que você nunca desista de lutar pela sua felicidade. Jamais perca o brilho nos olhos, a alegria na alma e a força para vencer as dificuldades do caminho.

VIVA BEM O HOJE!