Relacionamentos


Olá.
E aí, como andam suas emoções?
Espero estar lhe ajudando a entender melhor esse complexo mundo dentro de nós, em que vivem nossos sentimentos, obtendo maiores habilidades na hora de dominar aquelas emoções que muito atrapalham nosso bem estar.

Na última semana, eu trouxe uma reflexão sobre Expectativas e o poder que estas possuem sobre a frustração. Isso está vinculado à nossa tendência de criar hábitos e ficarmos presos a eles, o que nem sempre é tão bom para nós.

Não criamos somente hábitos de comportamento, temos também milhares de hábitos de pensamentos e de sentimentos. E vamos pouco a pouco conversando sobre tudo isso aqui, ok? Agora quero me ater a uma das consequências de nossos hábitos emocionais (de sentimentos) e que podem trazer prejuízos que merecem atenção e prevenção. Quantas vezes nos percebemos em crises existenciais, comportamentais e até sociais?! É muito comum passarmos por fases que nos provocam determinadas dúvidas ou reflexões sobre nós mesmos e as consequências de nossas ações diante da vida. E com nossa maneira de olhar para os fatos, geramos comportamentos nem sempre tão úteis e que atingem de imediato os nossos relacionamentos. Portanto, resolvi falar um pouquinho pra vocês sobre o Relacionamento Social e também Relacionamento Pessoal que, para se tornarem saudáveis, precisam de cuidados essenciais.

Primeiramente, para se relacionar bem com as outras pessoas, é preciso ter um bom relacionamento consigo mesmo. E para o melhor relacionamento pessoal possível, eu devo me conhecer e me amar. Simples e desafiador assim. Pois bem, nós somos seres sociais, numa necessidade básica de convivência. Nós não conseguimos viver completamente sozinhos, precisamos nos conectar constantemente com outras fontes de vida; e a mais intensa é, sem dúvida, aquela que nos é semelhante: a vida de outras pessoas. Nessa dinâmica, nossas emoções ficam em alta. Impossível se relacionar sem uma variedade de sentimentos em todo tempo. Então, naturalmente nossos comportamentos num relacionamento são um reflexo dos sentimentos que sustentamos diante de cada situação vivida nessa relação. No entanto, temos em nós o controle sobre esse movimento e podemos decidir mudar a direção do comportamento, quando for preciso viver melhor. Perceba bem que os sentimentos vão vir, bons e ruins, mas sustentá-los ou não sempre vai depender de nós.

Para que nossos relacionamentos se mantenham produtivos e felizes é importante regarmos o terreno da convivência com estes nutrientes fundamentais para boas colheitas:

  • Diálogo – a boa conversa é sempre o portão de entrada para um bom relacionamento.
    Saber ouvir, saber falar.
  • Reciprocidade – mais do que dar e receber, é sentir junto, é amar junto, é estar junto.
  • Renúncias – abrir mão algumas vezes da nossa própria vontade e se doar ao outro.
  • Flexibilidade – diminuir nossas expectativas e nos adaptarmos ao outro (jeito, manias, rotina, gostos) com maior empatia e compreensão.
  • Compromisso – quando temos compromisso em cultivar a boa convivência, sem dúvida, valorizamos a relação com o outro. A importância que damos ao outro vem acompanhada do comprometimento e da seriedade na relação.

E como falamos muito aqui no Blog sobre Casamento, para a relação a dois esses cuidados são ainda mais primordiais! Somos pessoas diferentes, com criações diferentes, ideias variadas, gostos muitas vezes opostos, e precisamos de muita habilidade para transformar tantas diferenças em aceitação. Aceitar vale mais do que querer mudar o outro à minha maneira. A identidade dele é dele, não tem que ser a minha. E a identidade do relacionamento é uma soma dessas duas. Sendo assim, mais que sentimento, o amor é decisão. Decido amar o outro e com isso viver bem com ele, aceitando-o como ele é.

Esse assunto rende e vez ou outra vamos voltando a essas ideias. Participe aqui conosco. Me conta aí o que achou e quais as dúvidas que você tem!

Beijo grande e até a próxima.