Escolhas

Já parou pra pensar na imensa importância das nossas escolhas? Desde as situações mais simples como o que fazer para o almoço ou onde e como passar o fim de semana até às escolhas mais delicadas que precisamos fazer na vida, é essencial sabermos o porquê estamos escolhendo. Precisa fazer sentido, precisa ser significativo, precisa valer a pena. Nossos comportamentos estão diretamente relacionados às nossas escolhas. E nossas escolhas relacionadas às nossas prioridades.

É claro que temos necessidades básicas, que nos levam diretamente a agir para atender questões urgentes (como fome, sede, ou tomar remédios quando estamos doentes), mas ainda assim podemos escolher não fazê-lo. Ou também há as muitas vezes que a gente se pega agindo por impulso, mas isso aí também é escolha, porque é hábito que a gente está escolhendo manter. Entende? Se estou desanimado e ando reclamando de tudo de difícil que acontece naquele dia, estou escolhendo manter meu desânimo em alta, manter o foco da minha atenção no pior e estragar a minha vida. Se decido não fazer nem um pouco mais de esforço para realizar algo que sempre digo ser importante, estou escolhendo fazer disso algo não tão importante assim.

E com isso, vamos seguindo a vida com milhões de opções no caminho que exigem a todo tempo uma decisão nossa, e após cada escolha virão consequências. Com elas virão ganhos, mas também virão perdas que precisamos aprender a superar. Abrir mão de certas coisas nem sempre será tão ruim assim, principalmente quando o que se ganha com essa escolha tem valor maior.

Portanto, vale muito o nosso constante questionamento sobre como anda nossa postura diante da vida. O que a gente vem decidindo que faça parte de nós e dos nossos dias? Será que o que a gente está priorizando realmente é prioridade, é essencial, é o mais valioso que temos?

O caminho vai ser sempre esse, quando escolho uma coisa abro mão de outra. E é crucial sabermos exatamente o que ganhamos, o que perdemos e o peso que isso terá a longo prazo. Saber suportar o desconforto é entender que as vantagens são maiores e melhores. Não podemos nos limitar a velhos hábitos, a nenhuma zona de conforto ou a tantas situações com as quais nos conformamos como se não pudesse ser diferente. Lembre-se, isso aí também estará sendo uma escolha. E na verdade, a pior delas, porque não te permite crescer e ser melhor.

“Escolho não melhorar, escolho manter minha vida de um jeito nada saudável e muito menos produtivo, porque quando vejo já está se repetindo tudo de novo. Não sei sair desse ciclo, não sei como mudar.”

Mas olha! Tem saída, tem escolha! Tem ação! A gente pode mudar, simplesmente mudando. Fácil? Não. Sem dor? Também não. Mas com muito mais ganhos do que sacrifícios. Se não questionarmos, vamos seguindo nossa rotina escolhendo muito mal e nos enganando (ao que chamamos de autosabotagem), imersos a hábitos que estarão ocupando demais nosso tempo e depois não dará mais pra voltar atrás.

Nós precisamos construir segurança em nossas decisões. As tantas opções podem nos deixar incertos do que seria melhor escolher, mas a verdade é que precisamos escolher em algum momento, e nem sempre teremos tanta certeza do que é melhor. Mas devemos começar por escolher não alimentar dúvidas e inseguranças. Se não dá pra colocar na balança e ver o que é mais importante, teste um caminho e escolha fazer dele o melhor, aproveite tudo que ele trouxer sem pensar naquele que não foi escolhido. Uma coisa é certa, qualquer caminho terá alegrias e lutas, então abrace sua escolha. Ter segurança nas decisões é isso. Aguentar as consequências e fazer o melhor prevalecer.

Você pode complementar essa reflexão conferindo no meu último texto aqui do blog, quando digo que somos responsáveis por nós mesmos e por nossas reações. A chave estará sempre em nossas mãos e a porta só abre se girarmos a chave, ou seja, se escolhermos abrir. E é mesma coisa em relação aos nossos projetos de vida, (que você pode reler no texto Sonhos precisam morrer) precisamos sair do lugar, agir em direção à realização, e só conseguimos isso quando decidimos fazê-lo. Percebe que todas essas reflexões nos trazem a uma mesma conclusão? AÇÃO.

Então, bora ser firme nas escolhas e agir em direção às prioridades mais valiosas pra você? E quando ficar tudo muito confuso ou difícil, existe muita gente que pode te ajudar. 😉

Sou Psicóloga clínica formada em Terapia Cognitivo Comportamental e Psicologia Positiva e pós graduanda em Psicologia Hospitalar e da Saúde na PUC-RIO.

Cuidar da dor do outro, compreender suas aflições e ajudá-lo a ampliar seu olhar diante da vida testando todas as possibilidades de ser mais feliz é o foco do meu trabalho. Por isso, gosto de incentivar as pessoas a encontrar o melhor de si mesmas no dia a dia e ousarem ir além de suas limitações, para que assim elas possam descobrir o valor e a força que possuem.

Trabalho com Psicoterapia de crianças e adultos; e tenho um projeto chamado Moveres Superando Desafios que vem se desenvolvendo com o objetivo de garantir informações e orientações sobre Saúde e Psicologia, além de promover incentivo para viver melhor a cada dia com reflexões e dicas para o seu bem estar!

Enfim, espero contribuir da melhor forma para que você nunca desista de lutar pela sua felicidade. Jamais perca o brilho nos olhos, a alegria na alma e a força para vencer as dificuldades do caminho.

VIVA BEM O HOJE!