Continuação – Especial 15 anos – Breve história da Valsa

Divulgação

Hello pessoa, tudo bem?

Na última semana, trouxe algumas dicas de músicas para a hora da Valsa, que hoje em dia, não tem lá um padrão musical e tem sido substituída por músicas de diferentes gêneros. A hora da valsa, tornou-se a hora da dança de casais. Há quem prefira seguir a tradição e apostar, de fato, em obras que sigam à estética proposta pelo estilo. Pensando nisso, no post desta semana vamos conhecer um pouquinho mais sobre a valsa e suas origens. Vamos lá?

Considerada como a dança mais popular do século XIX, a Valsa (do alemão Walzer, que significa “girar”) é um estilo de dança e música caracterizado pelo compasso ternário ou binário composto e tem suas origens ligadas às danças executadas nos bailes populares, por volta do século XVIII na região da Áustria e Alemanha. Inicialmente, sua introdução nos bailes da aristocracia e da corte foi um pouco turbulenta, devido à proximidade física entre os pares e ao ritmo, consderado como algo diabólico por alguns membros da nobreza da época.

Porém, sua reprodução, sobretudo, nos salões austríacos, fez com que o estilo começasse a tomar conta nos bailes europeus. Tal fato, se deve, principalmente, à obra de alguns compositores, como, c por exemplo, os membros da família Strauss, Josef e Johann Strauss. O último, conhecido como Rei da Valsa foi em grande parte responsável pela popularidade da valsa em Viena durante o século XIX. Dentre suas principais obras, podemos destacar: “Folhas da Manhã” (1863), “Bombons Vienenses” (1866), “Danúbio Azul” (1867) e “Vinho, Mulher e Canção” (1869). Outros grandes compositores, como Weber, Chopin, Ravel e Brahms têm valsas em seus repertórios.

Em 1808, com a chegada da corte portuguesa, a valsa começou a se tornar conhecida, principalmente pelas execuções nos salões da elite carioca e, ao longo da segunda metade do século XIX, obteve ainda maior aceitação entre a sociedade da época, sobretudo pelas obras de alguns compositores brasileiros, como Villa Lobos, Carlos Gomes, Ernesto Nazaré, Chiquinha Gonzaga, entre outros.

E aí, gostou de conhecer um pouquinho sobre a tão famosa valsa? Espero que sim, afinal, a história é importantíssima para sabermos valorizar as tradições e conhecer os artistas que nos deixaram um lindo legado e, até hoje, nos influenciam com o seu trabalho.

Comente, curta e compartilhe! É super importante saber o que você quer ver por aqui!

Até a próxima!

Beijos de luz!

Fonte: Guia da musica clássica

Ebiografia

Apostilas de História da Música – Arquivo pessoal

Sou Cantora e Professora de Canto, licenciada em Música pela Universidade Cândido Mendes e proprietária do Espaço Cultural Colibri. Música é a minha melhor maneira de contribuir para um mundo mais humano e para  transformar a vida das pessoas em momentos únicos, repletos de emoção e muita alegria! Temos música para todo momento e meu foco, aqui no blog, é mostrar que, há sempre o que aprender e que temos um lindo universo a descobrir, afinal, engana-se quem pensa que a música limita-se em ser apenas uma arte. É MUITO MAIS que isso! Trabalho dando aulas de Canto em algumas escolas em Nova Friburgo-RJ e tenho um espaço em parceria com a Produtora Audiovisual Colibri, o Espaço Cultural Colibri, onde, junto a um time de professores e queridos amigos, nos empenhamos para ensinar Música de “dentro para fora”, ou seja, criando, em cada um de nossos alunos, primeiro uma relação de experimentação e afinidade com a arte, a fim de garantir um aprendizado mais significativo e ainda mais prazeroso. Nosso intuito é criar artistas responsáveis com sua missão! Fazê-los, encontrar sua própria verdade dentro de cada um de seus trabalhos! Que tenhamos excelentes momentos de aprendizado e muita alegria para compartilhar juntos! Contem comigo! Voe alto!