Casei, e agora?

Esse texto é para você, noiva de plantão, e também para você que já está casada e sente na pele os desafios diários das mudanças na rotina e na vida depois do casamento.

O comum é falarmos e pensarmos somente nos preparativos para o grande dia, muitas pessoas levam meses a fio nessa empreitada que é rica de detalhes, planejamentos e realizações. No entanto, é interessante lembrarmos que tão importante quanto o antes e o durante, é também o depois. Depois que o objetivo final foi alcançado, só nos resta viver a vida de casados (de preferência muito bem vivida e aproveitada).

A gente idealiza tudo, cria tantas suposições romanticamente sonhadas e pensamos que a realidade vai ser exatamente como o pensamento. Sendo que o pensamento é ligeiro, mas as situações não.

No nosso pensar as contas podem ficar apertadas e rapidinho vamos tirá-las do vermelho, na nossa cabeça parece que vai ser rápido o processo de solucionar cada problema que surgir. Ou então nem pensamos muito nisso, ficamos com a ideia de conto de fadas na mente e só criamos expectativas de tudo ser lindo e perfeito – sobre expectativas já falei aqui e se quiser voltar lá, vale a pena complementar sua leitura.

Mas quando de fato começamos a passar por tais situações, uiii não é tão simples, muito menos rápido como pensávamos. Novos compromissos com casa, comida, mercado, problemas que surgem de surpresa como um cano estourado no banheiro num domingo à noite ou a comida que queimou na panela enquanto você foi rapidinho estender a roupa no varal. Além das tarefas do trabalho que têm lá suas dificuldades também.

E aí? Como lidar com tudo isso?
Primeiramente nada de entrar em pânico.

Todo problema exige solução, não desespero. O desespero nos paralisa e aumenta o problema. Então é válido manter o foco e analisar todas as soluções possíveis para organizar bem as ações. Separá-las em:  Imediatas, Importantes e Adiáveis já ajuda muito na hora de visualizar o que precisa ser feito. Agora, existe também um enorme desafio em relação à convivência a dois. Por mais que você e seu marido (ou noivo) se entendam super bem, sempre haverá diferenças no modo de ser, pensar e agir. Cada um possui um baú de experiências, criação e hábitos bastante particular e é fundamental sabermos criar um modo novo de rotina.

Não tem que ser só do meu jeito, nem só do jeito do outro, é mais sábio criarmos um jeito nosso. E nesse terceiro jeito, haverá algo meu, algo do outro e algo completamente diferente para os dois. É uma mistura de tudo, que requer adaptação diante de cada detalhe.

Com o texto que fiz sobre Relacionamentos, você pode refletir melhor sobre isso. O que vale aqui é ressaltar a importância de ser flexível no dia a dia, seja na convivência com seu cônjuge ou na consciência de que problemas virão e depende de você se irá olhá-los como terríveis empecilhos ou como desafios engrandecedores.

Lembre-se sempre: só nos tornamos melhores quando saímos da zona de conforto, e para isso o desconforto precisa existir.

Beijo pra você e até a próxima!