Amor próprio pode aumentar o egoísmo?

Quantas vezes ficamos com essa dúvida e acabamos fazendo muito pelos outros e pouco por nós mesmos, afinal, “Deus me livre de ser uma pessoa egoísta e desprezível!”

Claro que o egoísmo não é saudável e precisa ser combatido, principalmente nos dias de hoje, em que vemos crescentes as atitudes de pessoas que olham pro próprio umbigo sem ao menos se preocupar ou ter um pingo de carinho com o próximo. É super fundamental fazermos um sacrifício ou outro pelo bem de quem está perto de nós, ainda que sejam desconhecidos. Uma boa ação nos mantêm sensíveis ao outro e com saudável relação social, afinal, se não tivermos o olhar atento às necessidades alheias acabamos sozinhos no mundo, e não nascemos para viver sozinhos, somos seres sociais. Além disso, é instintiva a nossa compaixão com a dor e/ou necessidade do outro, ainda que venha sendo abafada ou deixada para segundo plano em algumas situações.

Não nos sentimos mais seguros para ajudar qualquer pessoa, pois estamos cercados de pessoas com interesses pessoais, que buscam levar vantagem em tudo. E isso é uma triste realidade. Por isso estou levantando essa reflexão aqui essa semana. Não podemos deixar de pensar no outro, enterrar esse nosso instinto de cuidado e prontidão a ajudar só por conta de alguns que ainda não aprenderam o sentido da vida. Então, devemos sim, amar os outros, nos aproximar dos outros, conhecer sua história e, se de fato, pudermos ajudar não economizemos forças pra isso.

Mas, também é importante pensarmos em nós mesmos em alguns momentos. Não nos tornaremos egoístas por isso. Tudo deve ter seu equilíbrio. Se só fazemos sacrifícios pelos outros, estamos exagerando nessa empreitada. Se só pensamos em nós mesmos, também estamos colocando peso demais em um pote da balança e deixando o outro vazio. Pensar em si, cuidar de si, fazer mimos pra si mesmo são atos fundamentais do amor próprio e já falei disso aqui em alguns textos. Essa atenção com as próprias necessidades nos fortalece para podermos atender as necessidades dos outros. Quando estamos bem conosco, permanecemos bem para o próximo.

Então, nada de se preocupar em ser um cadinho “egoísta” às vezes, com maturidade e cuidado. Uma boa medida é saber se sua vontade prejudicará alguém de alguma maneira, se a resposta for SIM, repense essa vontade; se a resposta for NÃO, vá em frente e invista em você no momento.

Se tiver alguma dúvida ou comentário sobre esse assunto, escreve aqui embaixo que terei uma alegria enorme em conversar com você!